O Fabuloso Mundo de Maya

Edição Especial dedicada ao Mar e aos Ocêanos - Revista Sábado/The New York Times (edição bilingue)

Apresentada na inauguração da Fundação Oceano Azul, a 18 de Março, a edição bilingue de parceria SÁBADO/The New York Times dedica o tema aos Oceanos.

Nesta edição é publicada uma reportagem intitulada «O Fabuloso Mundo de Maya Almeida», que dá a conhecer o trabalho desenvolvido pela fotógrafa e membro do Conselho da Diáspora Portuguesa, Maya Almeida, uma portuguesa do mundo, que foi atleta de natação no Benfica, e hoje é uma fotógrafa premiada e reconhecida internacionalmente.

As suas fotografias, muitas feitas em apneia, tiveram animais como modelos, e hoje centram-se em pessoas, tendo já contado com a participação de Jeremy Irons num dos seus projectos. "Acredito que na água voltamos para nós mesmos, ficamos mais conectados com a nossa essência. É um lugar onde precisamos de menos e sentimos mais”, explica.

 

Fez o primeiro mergulho com garrafa aos 15 anos, no Quénia, e começou a mergulhar só em apneia em 2002. Hoje, está facilmente oito a 10 horas diárias dentro de água. Foi a sua capacidade de ficar à vontade lá em baixo que fez os animais aproximarem- se dela. “Sabe que os tubarões sentem mais o batimento cardíaco do que o cheiro? Por isso, quanto mais tranquila a pessoa estiver, menos possibilidades tem de ser tomada como presa.”, conta Maya.

A Deptherapy é uma das organizações que apoia e com quem está a realizar um projecto e está envolvida em dezenas de projectos e trabalhos. Após anos a desejar o silêncio e a paz que se obtêm debaixo de água, a experiência de fotografar pessoas foi uma revelação. E passou do fundo azul-escuro dos mares para o azul-turquesa das piscinas, tendo já trabalhado com Jeremy Irons como um dos seus modelos.

O mar dos Açores trouxe-a de novo a Portugal, num projecto com cachalotes, “essas maravilhosas criaturas” e actualmente, está envolvida num projecto global de artes visuais que visa criar uma maior sensibilização para a questão da poluição dos mares. Vai trabalhar em colaboração com o Fabien Cousteau Ocean Learning Center, cujo objectivo principal é ensinar às futuras gerações a importância dos oceanos.

 

 

Por Sábado/The New York Times, Março 2017

Voltar

Anal