Arte Institute promove a arte portuguesa

Em 2015, ‘estacionou’ no Kennedy Center, em Washington, um eléctrico de cortiça em tamanho real desenhado por Nuno Vasa e uma jangada de pedra, construída pelos arquitectos Souto de Moura e Siza Vieira. E as cerca de 500 mil pessoas que por lá passaram durante o festival «Iberian Suite: Arts Remix», descobriram que a cultura contemporânea portuguesa tem muito a apresentar. A participação portuguesa naquele festival esteve a cargo do Arte Institute, fundado em Abril de 2011, em Nova Iorque, pela actriz, realizadora e jornalista Ana Ventura Miranda.

Organização independente e sem fins lucrativos, dedica-se à internacionalização da arte contemporânea portuguesa, “Trabalhamos em todas as áreas da criação contemporânea portuguesa - cinema, artes plásticas, música, dança, literatura, performance, teatro - sempre a partir de Nova Iorque. Desta cidade levamos a arte contemporânea portuguesa para outros países e não há outra organização que faça isto de forma tão transversal”, explica Ana Miranda.

Através do Arte Institute, Ana e a sua pequena mas entusiasmada equipa, tem sido responsável pela organização de eventos culturais nos Estados Unidos, como o o ‘NY Portuguese Short Film Festival’, as ‘Summer Nights Series at Union Square Park’, a ‘Semana José Saramago em NY’, ‘Pessoa in New York’, o ‘Arte Institute Contemporary Dance at Alvin Ailey’, as ‘Mulheres Portuguesas na América’, entre muitos outros.

Mas a acção desta organização já ‘saiu de portas’ e tem levado a arte contemporânea ao mundo. “O Arte Institute já promoveu mais de 550 artistas e apresentou eventos em 29 cidades de 13 nações, nos cinco continentes. Em 2015, organizou 64 eventos em vários países”, revela. “Há todo um Portugal moderno, actual, que não aparecia em lado nenhum".

Ana explica que se mantém uma plataforma online (http://www.arteinstitute.org/), por ainda não haver um espaço físico. Mas tal não reduz o trabalho que desenvolve, nem o limita às fronteiras de Nova Iorque. Por ser um projecto auto-sustentável que chega a todos os pontos do globo, o Arte Institute foi há dois anos apontado pela IBM, como o novo modelo de negócio para a cultura. Apresentar o Portugal moderno aos luso-americanos.

Em Portugal, as parcerias chegaram por parte da EDP, da CGD, da Fundação Luso-Americana, da Câmara Municipal de Cascais. Com o Camões, I.P. o Arte Institute celebrou em 2014 um protocolo de cooperação, visando o desenvolvimento de iniciativas e projectos de Língua e Cultura Portuguesa Contemporânea com enfoque na literatura, cinema, música e artes plásticas nos EUA.

Sobre o futuro, não faltam ideias e projectos, até porque, há um crescente interesse pela cultura contemporânea portuguesa. Um exemplo deste trabalho pode ser visto a 16 de abril, no MoMa (Museu de Arte Moderna de Nova Iorque), onde o Arte Institute irá lançar o filme/documentário sobre a história dos primeiros portugueses que se instalaram no Soho, um dos bairros icónicos da metrópole Americana - com estreia em Lisboa no dia 23 de Junho.

 

Por Mundo Português, Abril 2016

Voltar