Conclusões Encontro Anual 2014 do Conselho da Diáspora Portuguesa

Encontra-se disponível para leitura o documento com as conclusões do segundo Encontro Anual de 2014. Os dois temas abordados neste Encontro foram:

1. Portugal como nearshoring Go-To-Country

Este painel propôs-se debater o posicionamento de Portugal como localização para a criação de centros de serviços empresariais em operações de outsourcing e nearshoring. Portugal é um país com forte imagem de hospitalidade, segurança e estabilidade, excelentes condições naturais e um estilo de vida muito atraente, para além da vantagem da situação geopolítica em relação ao mundo que fala português. Estas vantagens contrastam com a falta de imagem tecnológica internacional, reduzida visibilidade nos mercados de outsourcing e um deficit no número de recursos especializados na área das tecnologias de informação.

De forma a melhorar a atractividade do país como plataforma de serviços global torna-se fundamental construir um business case e identificar factores de competitividade, sendo exemplos a actuação na redução das componentes de custos não salariais; promover o aumento da produtividade e potenciar a qualificação dos recursos.

2. Prevenção da Doença e Promoção da Saúde

As doenças relacionadas com o envelhecimento são o maior desafio social, político e económico da nossa era. A longevidade do ser humano decorrente da duplicação da duração média de vida abre um novo foco de atenção: a prevenção da doença. A prevenção é determinante não apenas na qualidade de vida dos indivíduos, mas igualmente na estabilidade macroeconómica e factores de competitividade do País. Uma estratégia de prevenção da doença e promoção da saúde terá que fazer uso de diferentes plataformas de comunicação e de influência, desde os meios de comunicação social até as redes de apoio social. Ao nível da população é necessário trabalhar em várias dimensões, a política pública, educação (dos profissionais e da população) e a distribuição de serviços aos grupos que deles necessitam.

A Prevenção exige conhecimento, que deverá residir no sistema educativo, decorrente da responsabilidade nos cuidados infantis e protecção das gerações futuras. Igualmente crucial é o papel das empresas na difusão de uma cultura de prevenção, beneficiando na melhoria da produtividade e desempenho, bem como na redução de custos inerentes.

Portugal encontra-se numa boa condição para acelerar o seu plano de prevenção da saúde, graças às suas infra-estruturas e profissionais de saúde competentes e bem preparados – com um ensino de qualidade e investigação que é premiada e reconhecida internacionalmente.

ACEDA AO DOCUMENTO AQUI

Voltar

Anal