António Guterres secretário-geral da ONU

António Guterres foi aclamado no passado dia 13 de Outubro como o novo secretário-geral das Nações Unidas na Assembleia-geral das Nações Unidas (ONU).

O ex-Alto Comissário da ONU para os Refugiados estará em funções desde 1 de janeiro de 2017 até 31 de dezembro de 2021. O embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin, voltou a elogiar a “transparência” do processo inédito de eleição, enquanto o ainda líder do organismo Ban Ki-moon defendeu que Guterres foi uma “excelente escolha” para sucedê-lo no cargo.

“Guterres tem uma experiência política sólida, com dois mandatos enquanto primeiro-ministro, e um instinto e responsabilidade partilhada com experiência ao nível dos refugiados”, sublinhou o secretário-geral da ONU, que anteriormente tinha considerado que já era tempo de o organismo ter uma mulher na liderança. “É uma excelente escolha para estar à frente desta organização para fazer face às incertezas do mundo atual”, acrescentou.

Também a embaixadora dos EUA junto da ONU, Samantha Power, congratulou-se com a eleição de António Guterres, frisando que é “altamente qualificado” e “apaixonado” pela sua missão. “Temos que ser pacificadores, tentar acabar com os conflitos na Síria, Iémen e Sudão do Sul. Embora sejam problemas difíceis acho que António Guterres vai fazer jus ao cargo”, assinalou Samantha Power.

O antigo primeiro-ministro português foi nomeado secretário-geral da ONU, após a votação formal dos 15 membros do Conselho de Segurança em Nova Iorque. António Guterres contou com 13 votos a favor, zero de desencorajamento e dois sem opinião.

 

Por Expresso, Outubro 2016

Voltar

Anal