Aptoide portuguesa factura mais de 2 M€

A portuguesa Aptoide – loja independente de aplicações móveis para Android – tem vindo a crescer 100% ao ano e 2016 não será exceção. Depois de em 2015 ter atingido 1,2 milhões de euros em faturação, o cofundador Álvaro Pinto não tem dúvidas. “A faturação não tem sido o nosso foco principal, temos estado concentrados no crescimento e expansão da plataforma, mas este ano vamos duplicar (ou mais) os resultados do ano passado”, afirmou ao Observador.

A Aptoide foi fundada em 2011 por Paulo Trezentos e Álvaro Pinto. Teve um investimento da Portugal Ventures de cerca de 750 mil euros em 2013 e no final de 2015 fechou uma ronda Série A de cerca de 3,7 milhões de euros (4 milhões de dólares), liderada pela sociedade de capital de risco norte-americana e.ventures e cofinanciada pelas asiáticas Gobi Partners e Golden Gate Ventures. O investimento permitiu que a empresa duplicasse o número de colaboradores, contando atualmente com 65 pessoas. "No início de 2015, atingimos o break-even operacional. Temos dinheiro para as operações, mas queríamos ir mais além. Já tínhamos uma presença interessante na América Latina e Europa, mas notámos que havia um crescimento significativo na Ásia e fomos à procura de investimento que nos permitisse trazer capacidade de expansão nesses mercados”, conta Álvaro Pinto.

Atualmente, a Aptoide tem dois escritórios na Ásia, em Singapura e na China, onde emprega cinco pessoas. O cofundador explica que o mercado do sudeste asiático representa um potencial de 600 milhões de utilizadores para a empresa e que tem crescido cerca de 180% por ano, “quase o dobro” do que nos restantes países.

Aptoide aposta em Smart TV e Realidade Virtual

Em 2015, a Aptoide contabilizou perto de 100 milhões de utilizadores ativos, quando em 2014 eram cerca de 50 milhões. Para este ano, a meta é duplicar o número do ano passado e, atualmente, a empresa regista cerca de 20 milhões de utilizadores ativos por mês e são feito 120 milhões de downloads. As regiões com maior número são o Brasil, México e Estados Unidos e as últimas surpresas vão para o Médio Oriente e Norte de África.

Para os próximos meses, a startup portuguesa vai estar focada em estabelecer mais parcerias a nível internacional, com empresas que estão a apostar no sistema operativo Android, sobretudo em matéria de Smart TV. Além disso, a empresa tem estado a trabalhar no desenvolvimento de uma loja para realidade virtual. “A nossa meta é em 2020 estarmos presentes num bilião de equipamentos no mundo inteiro”, afirma.

Ressalvando que quer reforçar a equipa, sobretudo a nível de marketing, Álvaro acredita que a Aptoide pode ser uma das principais App Stores e que vai reinventar a forma como as pessoas descarregam aplicações no sistema operativo Android. “Até ao final do ano, vamos fechar parcerias em novas áreas, novos produtos e continuar a nossa expansão. Temos várias áreas onde o potencial de crescimento é muito interessante”, adianta.

 

Por Observador, Setembro 2016

 

 

Voltar

Anal