Forte presença de Portugal em Milão

"Em fevereiro, em Milão, Portugal registará a maior presença de sempre num evento no exterior. Ao todo, as 95 empresas portuguesas respondem por mais de oito mil postos de trabalho e sensivelmente 500 milhões de euros de exportações", revela uma nota da Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos (APPICAPS) hoje divulgada.

A Micam decorre entre os dias 14 e 17 de fevereiro e contará com a presença de mais de 1.600 expositores, de cerca de 50 países, e mais de 40 mil visitantes profissionais. A presença do sector português na feira de calçado de Milão insere-se na "estratégia promocional definida pela APPICAPS e AICEP [Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal], com o apoio do programa Compete 2020, e que visa consolidar a posição relativa do calçado português nos mercados externos", explica a associação.

Desde o início do ano que cerca de 200 empresas do sector do calçado estão a participar num "megaprograma de promoção à escala internacional". Já durante o mês de fevereiro, e em pouco mais de 200 dias, o sector participará em 10 certames profissionais fora do país, em destinos como Bogotá, Dusseldorf, Las Vegas, Paris e Milão.

Depois de ter melhorado a sua imagem, o calçado português, agora associado a "atributos como qualidade, inovação e design", quer avançar com um novo programa de inovação e investir 50 milhões de euros em cinco anos no processo de modernização das empresas.

Com 1.430 empresas, e mais de 37.700 trabalhadores no sector, Portugal é "um dos 'players' mais relevantes da indústria do calçado a nível internacional", assinala a APPICAPS. Nos últimos anos, a fileira do calçado assistiu a uma "revolução tecnológicas" e, com o projeto 'Newalk' deu "passos significativos na investigação de novos materiais e produtos", desde novos couros, componentes e produtos químicos inovadores, conceitos de calçado diferenciados, software e tecnologia para uma produção ágil, robotizada ou customizada.

Este projeto, desenvolvido em parceria com o Centro Tecnológico do Calçado de Portugal (CTCP), promoveu o desenvolvimento de mais de 100 equipamentos 'made in Portugal' o que permite que o país "exporte hoje alta tecnologia para calçado para quase todo o mundo". "A indústria portuguesa do calçado quer reforçar agora o seu estatuto de mais moderna do munido e, no desenvolvimento de novas soluções técnicas, tecnológicas e novos materiais, deverá investir 50 milhões de euros nos próximos cinco anos", destaca a APPICAPS.

Já em 2018, com data e local a anunciar, Portugal receberá a 20.ª edição do Congresso da União Internacional de Técnicos da Indústria do Calçado (UITIC) que é considerado "o encontro mais prestigiado de especialistas de calçado a nível internacional" e cuja última edição foi organizada em Chennai, na Índia, onde estiveram reunidos 500 técnicos internacionais representantes de 27 países.

Voltar

Anal