Vodafone investe nos jovens e no digital

A Vodafone anunciou que, até 2022, vai ajudar até 10 milhões de jovens a desenvolverem as suas competências digitais, facilitando a procura de emprego num mercado cada vez mais tecnológico e digital.

Intitulado ‘What will you be?’, este é o maior programa a nível mundial com o objetivo de preparar jovens entre os 14 e os 15 anos para a economia digital e disponibilizar aconselhamento de carreira em 18 dos países onde o Grupo está presente.

A iniciativa materializa-se em dois grandes eixos de intervenção:

- A ferramenta Future Jobs Finder, que permitirá aos utilizadores a realização de um conjunto de testes psicométricos, desenhados para identificar as suas aptidões e interesses, sugerindo as profissões mais adequadas ao perfil de cada um no mercado de trabalho digital e, de acordo com os resultados obtidos podem ter acesso a um resumo das principais competências e pontos fortes de cada utilizador e que podem ser usados para melhorar o Curriculum Vitae;

- O aumento do número de vagas destinadas a jovens que, todos os anos, obtêm experiência profissional digital nas várias operações do Grupo, contribuindo para travar os números alarmantes do desemprego jovem, bem como colmatar a ausência de uma formação focada no digital nas novas gerações. Em Portugal, a ambição é chegar a cerca de 3000 jovens até ao final de 2022.

“Nenhuma sociedade prospera se grande parte dos seus jovens estiver desempregado. Ao longo da história, as novas tecnologias foram substituindo cargos em múltiplas indústrias, reduzindo o número de empregos disponíveis. Contudo, simultaneamente, começaram a surgir outros empregos. Com o passar do tempo, todos os locais de trabalho serão digitais, dando origem a uma crescente procura por profissionais especializados em competências digitais e tecnológicas. Queremos ajudar as novas gerações a não ficarem excluídas do novo mundo laboral”, afirma Vittorio Colao, CEO do Grupo Vodafone.

 

Conselho da Diáspora Portuguesa: 

As novas competências no século XXI e a preparação das novas gerações foi um dos temas do Encontro Anual 2015 do Conselho da Diáspora Portuguesa, onde se debateu o emprego na era digital e o desenvolvimento de soft skills. Neste encontro concluiu-se que Portugal apresenta um fosso nos níveis de educação e no abandono escolar, principalmente entre os 18 e os 24 anos, e que as instituições de ensino devem questionar os modelos clássicos, explorando as novas possibilidades tecnológicas, promovendo um ambiente mais criativo e dinâmico, de forma a adequar os currículos ao serviço das necessidades de um mercado de trabalho global e digital.

 

 

Por Conselho da Diáspora Portuguesa, Março 2018

Voltar